Serviços Ecossistêmicos de Provisão são foco do Grupo de Trabalho da TeSE

O 1º Grupo de Trabalho (GT) da iniciativa Tendências em Serviços Ecossistêmicos (TeSE) em 2015 discutiu métodos gerais para quantificação e valoração econômica de serviços ecossistêmicos de provisão 11/05/2015
COMPARTILHE

Por Thaís Guimarães (GVces)

Neste ano, a iniciativa empresarial Tendências em Serviços Ecossistêmicos (TeSE), do Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP (GVces), possui duas frentes de trabalho: a primeira delas trata da valoração econômica de serviços ecossistêmicos em geral, e a segunda, da valoração não econômicade serviços ecossistêmicos culturais (SEC).

Dentro da frente de trabalho sobre valoração econômica, a TeSE está ampliando sua atuação em 2015, desenvolvendo, em complementariedade aos métodos já existentes para valoração dos serviços de provisão biomassa combustível e água, um novo método geral “que poderá atender, se não todos, pelo menos grande parte dos serviços ecossistêmicos de provisão relevantes para a economia brasileira”, explica Natalia Lutti, gestora da TeSE.

Serviços ecossistêmicos de provisão são resultantes de processos ecológicos (ou funções ecológicas) que produzem bens tangíveis/ materiais que são úteis de alguma forma e geram bens.Dentro deste contexto, o GT tem por objetivo“apresentar e discutir diretrizes e métodos gerais de valoração de serviços ecossistêmicos de provisão e entender como estes se aplicam à realidade das empresas”, explica Phillipe Lisbona, do GVces.

Na primeira parte do GT, foram transmitidos aos membros os novos métodos desenvolvidos para a quantificação e valoração dos serviços ecossistêmicos de provisão e um exemplo de aplicação dos cálculos no contexto empresarial. Eles puderam esclarecer dúvidas e em seguida foi aberta uma roda de discussões para compartilharem suas visões sobre a aplicabilidade do tema dentro do contexto de suas empresas.

Já a segunda parte do GT focou no desenvolvimento de projetos pilotos, trazendo o caso da empresa Beraca desenvolvido no ciclo de 2014, e também diretrizes para os novos pilotos a serem desenvolvidos durante o ciclo de 2015.

Próximos passos – O ciclo 2015 conta com mais dois GTs, que serão focados nos serviços ecossistêmicos culturais. O ciclo também conta com uma capacitação de três dias dos métodos da DEVESE e sua ferramenta de cálculo, juntamente com o desenvolvimento de projetos pilotos. Além disso, está previsto para o ano a viagem das Iniciativas Empresariais (IEs) e o Fórum Anual das Iniciativas Empresariais do GVces e o Fórum das IEs, o qual ocorre no final do ano de 2015 para compartilhar as experiências do respectivo ciclo.

Fotos: Felipe Frezza (GVces)

Mais Lidos

Nenhum post encontrado.